segunda-feira, 13 de junho de 2011

Avaliação e a cola

Avaliação, prova... combina com cola?

Bom , tudo depende da definição de cada um, ao seu tempo.

Lá em 1984, quando eu enfrentei o Ensino Fundamental II, avaliação era:

- " Hora da onça beber água..."
- " Quando o filho chora, e a mãe não vê."
- " A vingança do Professor Paulo..."
- " A certeza de não poder ir pro clube no próximo final de semana."


De fato, se compreendemos que o mundo mudou, os adolescentes mudaram, a comunicação mudou, por que as avaliações não deveriam adquirir outros significados?

Se você já colou algum dia talvez se lembre de ter feito uma cola com a intenção de usá-la na hora da avaliação e nem ser preciso faze-lo, já que você se lembrou do que havia escrito.
Logo você aprendeu, colando!

Por favor, não deturpem minhas palavras! Não quero com isso banalizar o ensino, defendendo a cola. O que quero dizer é que concordo com alguns dos novos conceitos quanto a avaliação.

Se meu objetivo é que meu aluno aprenda; se percebo que certa atividade com consulta ( nossa antiga cola) lhe dá mais segurança em resolver os execícios propostos; se sentado ao lado de um colega esse meu aluno discute estratégias e defende seu ponto de vista...Por que não?

Abaixo os métodos conservadores! Viva a diversidade inclusive nas atividades avaliativas!

Um beijo, e seja feliz!

Cris

Nenhum comentário:

Postar um comentário